Uma nova atitude

Campo

Força para o agronegócio e para o pequeno produtor

Nos seis primeiros meses, o Governo trabalhou para fortalecer o principal produto da pauta de exportações do agronegócio mineiro: o café.

Nos seis primeiros meses, o Governo trabalhou para fortalecer o principal produto da pauta de exportações do agronegócio mineiro: o café.

O principal objetivo é agregar valor ao produto. O protocolo assinado entre o Governo e associações internacionais de certificação de qualidade abre novos mercados nacionais e internacionais para o Estado.

Pelo protocolo, os produtores mineiros certificados pelo Certifica Minas Café (CMC) podem obter, automaticamente, a licença internacional que possibilita a realização de vendas para grandes empresas.

Atualmente, o CMC abrange cerca de 1,6 mil propriedades em todas as regiões do Estado.

Ações emergenciais para dar resposta a questões fundiárias, como acesso ao crédito e regularização de posse da terra para pequenos produtores rurais, também mobilizaram o Governo nesses seis primeiros meses de gestão.

Uma das principais iniciativas foi a criação da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, que já trabalha na retomada do Programa de Regularização Fundiária Rural, paralisado há mais de três anos. A ação é um marco na história das titulações de terras em Minas Gerais.

Outra ação de impacto para o pequeno agricultor foi o reforço dos programas de crédito.

Por meio do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (Cedraf-MG), foram aprovados cerca de R$ 34 milhões em crédito fundiário, que vão permitir o assentamento de cerca de 400 famílias de várias regiões do Estado, em uma área de 5.200 hectares.

Veja o balanço dos primeiros seis meses de Governo, conheça tudo o que foi ouvido e fique sabendo das melhorias para o futuro.